Ticket pesagem

domingo, 10 de abril de 2016

Como vencer a tristeza de não conseguir parar de comer?

O título dessa postagem é uma pergunta que  a muito tempo venho me fazendo. 
Quando começo a comer me sinto aliviada, me sinto bem, feliz, satisfeita, não quero que aquele momento acabe, mas assim que termino a culpa pesa bem mais do que a quantidade de comida que comi.
Me sinto fracassada, gorda e nojenta e como se esse sofrimento psicológico não bastasse ainda me sinto mal, organicamente falando.
Tenho notado que não estou digerindo satisfatoriamente os alimentos, o refluxo piorou e, claro, engordei.
Sinto como se estivesse me castigando por algo, como se a comida fosse ao mesmo tempo consolo e punição.
Preciso sair desse ciclo, pensei em retomar o tratamento com sibutramina, mas não sei se vale a pena porque depois que paro de tomar aos poucos a fome começa a me consumir e não é só essa fome psicológica é fome fisiológica também.
Confesso que tenho vergonha de revelar esse tipo de coisa até mesmo para os médicos.
Vou pensar em como corrigir isso e sei que isso tem que partir de mim, pois não posso ficar colocando a culpa dos meus problemas em ninguém, posso pedir ajudar, mas não culpar.
Vou pensar da seguinte forma: é só não colocar na boca, isso parece ser simples, vou começar por aí.
Também vou dizer que não gosto de determinados alimentos os quais não consigo comer pouco como, por exemplo, chocolate. isso funcionou muito bem com biscoito recheado. Eu era viciada em biscoitos recheados, todos os dias eu comia um pacote, não estou exagerando, realmente todos os dia comia um pacote, de preferência logo após o almoço, quando percebi que aquilo estava insustentável comecei a dizer aos meus amigos que havia enjoado de biscoitos. Como todo mundo sabia que eu não passava um dia sem comer biscoito recheado sempre alguém vinha me oferecer, se eu dissesse que estava evitando esse alimento, as pessoas iriam continuar insistindo, da mesmo forma quando você está fazendo dieta, sempre tem um monte de gente que fica insistindo que "só um pouquinho não vai fazer mal..." no momento que eu dizia que havia enjoado a pessoa não me oferecia mais.
Vou buscar saídas como essa, pois minha família toda tem tendência à obesidade e eu não quero chegar no ponto que a maioria chegou. Vou tomar uma providência a partir daqui, a partir de agora.
Serei forte e vou conseguir.

Abraços
Pam